Arquivo do autor:repos

I Oficina de Segurança Digital para Ativistas

1ª Oficina de Segurança Digital para Ativistas

Hoje somos vigiados constantemente. A cada momento estamos sendo filmados, fotografados, gravados e tendo nossas informações vazadas, sendo muitas vezes nós mesmos os principais agentes da nossa exposição. Além da perda de nossa privacidade, quando somos atores de uma luta contra-hegemônica nos colocamos na mira do poder dominante.Historicamente esse poder não mediu esforços para esmagar aqueles que quiseram o desafiar, bastando apenas descobrir suas informações graças a um clique feito por você. Com essa questão, nós do núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ (SOLTEC/NIDES/UFRJ) apresentaremos a Oficina de Segurança da Informação, que fora construída através de um intenso trabalho de campo que contou com a participação de militantes de movimentos sociais com intuito de introduzir esse debate e apresentar ferramentes que garantam maior segurança e privacidade aos participantes de movimentos sociais.

A Oficina de Segurança da Informação ocorrerá no dia 08/10 e terá como foco a apresentação do debate da vigilância, a demonstração de alguns pontos vulneráveis na comunicação, a apresentação de casos reais de ataque dos poderes hegemônicos, erros comuns cometidos por movimentos sociais e ferramentas mais seguras para comunicação, além de garantir um debate para que haja uma troca de experiências entre todos os envolvidos.

Assim, convidamos todos e todas que participam de movimentos sociais, sindicatos, partidos políticos ou são ativistas. Para se inscrever, preencham o formulário a seguir:

O evento será gratuito e sujeito a lotação (60 vagas). Inscrições abertas de até a data do evento. Inscreva-se no formulário abaixo:

https://repos.milharal.org/inscricoes-para-a-i-oficina-de-seguranca-digital-para-ativistas/

OBS: Esse formulário está hospedado no milharal.org. Não usamos nenhum software proprietário buscando garantir a privacidade dos seus dados. Apenas a comissão organizadora terá acesso às informações inseridas aqui.

Carta contra o GOLPE

Nós, participantes do XIII Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social, e a Rede de Engenharia Popular Osvaldo Sevá nos posicionamos contra o GOLPE parlamentar-midiático que está em curso no Brasil.

O Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social (ENEDS) tem por objetivo abrir um espaço de reflexão dentro da Engenharia, para discutir os caminhos e as possibilidades de desenvolvimento social. O evento busca interligar as instituições de ensino, pesquisa e extensão, de setores públicos e privados, dos movimentos sociais e da sociedade civil, com o intuito de constituir-se como um meio de conscientizar os participantes sobre a demanda pública e popular de tecnologia com fins sociais de forma emancipadora. Buscamos, portanto, a construção de uma Engenharia Popular e Solidária, que se baseia no diálogo horizontal entre os diferentes tipos de conhecimento e da interação contínua entre o meio acadêmico e o contexto da realidade da maioria da população brasileira. Continuar lendo

Pesquisa sobre uso das TICs por sindicatos, partidos e movimentos sociais

O Núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ está realizando uma pesquisa sobre uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) por movimentos sociais, partidos e sindicatos. A pesquisa está hospedada na página da REPOS por questões de segurança (para que nenhum governo ou corporação tenha acesso aos dados), já que nossa página é mantida (e todos seus dados são armazenados) no Saravá, um serviço de ativistas hackers para movimentos sociais contra-hegemônicos.

Para responder a pesquisa, vá para o seguinte link: Formulário da pesquisa

REPOS envia carta de apoio a COOCAMARP

A REPOS assinou hoje uma carta de apoio a luta da COOCAMARP e da Coleta Seletiva Solidária em Rio Pardo. Veja uma matéria sobre a questão em http://www.mncr.org.br/noticias/blog-do-sul/catadoras-de-rio-pardo-pedem-socorro, e a carta abaixo:

Carta de apoio à Coleta Seletiva Solidária em Rio Pardo

Porto Alegre, 14 de julho de 2015

Prezado Prefeito Fernando Henrique Schwanke,

Nós da Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá tomamos conhecimento da grave situação enfrentada pela Cooperativa de Catadoras e Catadores de Rio Pardo (COOCAMARP) e nos solidarizamos com suas reivindicações.

A Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (REPOS) tem como objetivo principal articular a engenharia para atender as demandas dos movimentos sociais, grupos populares e trabalhadores(as) organizados, sempre em processo de diálogo. Assim, tem como principais valores a educação popular, a autogestão, a justiça social e ambiental, o feminismo, a igualdade étnico-racial e o reconhecimento e diálogo entre os diversos saberes (populares, tradicionais, acadêmicos, das diferentes disciplinas).

A COOCAMARP, que iniciou sua organização em 1999 e se formalizou em 2011, tem colaborado com a preservação ambiental, a saúde e a limpeza pública da cidade de Rio Pardo. Desde 2011 realiza a coleta seletiva solidária porta a porta, conforme estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos, dentro do modelo de gestão integrada de resíduos sólidos, efetivando a inclusão social e econômica de catadoras e catadores de materiais recicláveis. Até maio de 2015 COOCAMARP tinha um convênio com a Prefeitura, embora com valor muito abaixo do suficiente para a manutenção dos serviços.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei 12.305/2010, torna obrigatória a coleta seletiva nas cidades e estabelece que as associações e cooperativas de catadoras e catadores de materiais recicláveis tem prioridade na contratação do serviço. Consideramos que o corte do convênio entre a Prefeitura e a COOCAMARP está em desacordo com a lei 12.305/2010. Esta interrupção está desestruturando e ameaçando o sustento das famílias das cooperadas e cooperados. Enquanto entidade de apoio, vemos ameaçadas as condições dignas de trabalho e de remuneração das catadoras e dos catadores de materiais recicláveis, assim como a perspectiva de incluir mais catadoras e catadores na cooperativa.

Mediante esta situação, reiteramos o nosso pedido de apoio a COOCAMARP, e reivindicamos o reconhecimento do serviço público de coleta seletiva solidária prestada pela COOCAMARP. Reivindicamos a reativação imediata das tratativas entre a Prefeitura Municipal de Rio Pardo e da COOCAMARP para elaboração de contrato de prestação de serviços com remuneração justa pelo trabalho das catadoras e dos catadores. Também reiteramos a importância da construção participativa do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, para que as catadoras e os catadores continuam trabalhando com dignidade e defendendo seus direitos de cidadania.

Cordialmente,

Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá – REPOS

www.repos.net.br